BUSCAR

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Lula faz balanço dos 8 anos de governo

Dilma e Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta quarta (15) no Salão Nobre do Palácio do Planalto, em Brasília, de uma cerimônia para marcar o registro em cartório do balanço das medidas adotadas pelo governo que ele comanda desde 2003.

Um tabelião oficial faria o registro em cartório das medidas. O objetivo é comparar as propostas dos programas de governo do presidente com o que foi efetivamente realizado. Cada ministério preparou um balanço específico.

Ministros que integraram o governo nos dois mandatos de Lula compareceram à cerimônia, entre os quais a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, atualmente no PV, e os ex-ministros  José Dirceu, da Casa Civil, e Antonio Palocci, da Fazenda (que será o titular da Casa Civil no governo Dilma). Participam também deputados, senadores e governadores da base aliada.

Acompanhado da presidente eleita, Dilma Rousseff, Lula desceu a rampa interna do Palácio do Planalto e foi recebido pela plateia de autoridades aos gritos de: “Olê, olé, olê, olá, Lula, Lula!”.


Governador Wagner abrindo a Cerimônia


A abertura da cerimônia foi feita pelo governador da Bahia, Jaques Wagner, ex-ministro do Trabalho. Em nome dos ministros do primeiro mandato, ele fez um discurso com elogios a Lula e a Dilma.  Depois, falaram representantes de trabalhadores e empresários.

O governador Wagner (PT), disse que o líder nacional deve continuar a trabalhar à frente do projeto de desenvolvimento do país, mesmo após deixar a Presidência. "Pelo que conheço do presidente, com a sua inquietude de ajudar cada vez mais o Brasil, os africanos e latino-americanos, logo ele estará de novo, não como presidente, mas como comandante desse projeto que devolveu dignidade à nossa gente", afirmou. O chefe do Executivo baiano relatou em seu discurso viagens oficiais e reuniões ao lado do presidente, que hoje registrará em cartório as realizações de seus dois mandatos. Antes de encerrar, o governador declarou que espera que a presidente eleita, Dilma Rousseff, governe com responsabilidade macroeconômica, mas com "o coração voltado para o povo".

Em seguida, os ministros foram chamados, um a um, para assinar os seis volumes que contêm o balanço de todas as pastas. Cada um cumprimentou e abraçou o presidente.

Depois de anunciados os nomes dos ministros presentes, o presidente Lula entregou o balanço do governo, um livro de 310 páginas, para registro em cartório.

O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Franklin Martins, fez discurso em nome dos ministros do atual governo para falar sobre a elaboração do balanço.

“Com registro em cartório, a sociedade vai ter acesso a esse material e fiscalizar se o governo cumpriu os compromissos e promessas assumidas pelo governo. Tenho certeza de que a sociedade vai encontrar um governo que honrou o voto recebido”, disse Martins.

Segundo o ministro, no governo Lula o país ganhou autoestima. “O Brasil aprendeu que pode conquistar, que pode andar com as próprias pernas, pensar com sua própria cabeça e fazer o seu próprio destino.”
Franklin Martins também se dirigiu a Dilma Rousseff e afirmou que ela será uma “tremenda presidente” e que fará "um tremendo governo". Ele destacou a "coragem" da presidente eleita na luta pela democracia durante o regime militar.

“Estou muito confiante de que a Dilma será uma tremenda presidente da República porque ela também veio de uma geração que aprendeu muito cedo, com 18, 19 anos, que tinha que dizer não. Ver alguém dessa geração chegar a presidente, e, principalmente, uma mulher chegar a presidente, dá muito orgulho.”

No encerramento, antes de iniciar a leitura do discurso, Lula falou de improviso. Disse que vai entregar o balanço do governo para a imprensa, para “eles perceberem o quanto perderam de cobrir coisa boa do governo”. Segundo o presidente, os jornalistas costumam retratar aspectos negativos do governo porque “construir tem menos apelo que destruir.”

No discurso, ele afirmou que a tarefa do governo está inacabada. "Nós estamos convencidos de que fizemos muito, mas temos consciência de que há muito mais a fazer", disse.

Ouça a fala do presidente no vídeo abaixo:


Fonte: R7 e G1

Nenhum comentário: