BUSCAR

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Maior tragédia da história no Brasil

O número de mortos na Região Serrana do RJ já chega a 644, segundo os números oficiais das prefeituras das cidades devastadas pelas chuvas. Pelos últimos levantamentos dos municípios, são 298 mortos em Nova Friburgo, 269 em Teresópolis, 56 em Petrópolis,19 em Sumidouro e 2 em São José do Vale do Rio Preto.
Em Teresópolis, a prefeitura informou que o número na Central de Cadastro de Desaparecidos caiu para 36. Em Petrópolis, há 36 desaparecidos, segundo a prefeitura. Em Sumidouro, há outros cinco. Já em Nova Friburgo, a prefeitura informou que não há levantamento sobre desaparecidos.

Já a Secretaria estadual de Saúde e Defesa Civil informou que o número de mortos no estado é 640, sendo 294 em Nova Friburgo, 271 em Teresópolis, 56 em Petrópolis e 19 em Sumidouro. O número de desabrigados e desalojados chega a 13.830, segundo o governo do estado.

Segundo a Polícia Civil, 643 corpos já foram identificados pelos peritos do IML (Instituto Médico Legal), sendo 293 em Teresópolis, 271 em Nova Friburgo, 56 em Petrópolis, 19 em Sumidouro e 4 em São José do Vale do Rio Preto.

Esta já é considerada a maior tragédia climática da história país. O número de vítimas ultrapassou o registrado em 1967, na cidade de Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo. Naquela tragédia, tida até então como a maior do Brasil, 436 pessoas morreram. No ano passado, de janeiro a abril, o estado do Rio de Janeiro teve 283 mortes, sendo 53 em Angra dos Reis e Ilha Grande, na virada do ano, 166 em Niterói, onde se localizava o Morro do Bumba, e 64 no Rio e outras cidades atingidas por temporais em abril. Em SP, durante o primeiro trimestre de 2010, quando a chuva destruiu São Luiz do Paraitinga e prejudicou outras 107 cidades, houve 78 mortes. Os números da Região Serrana do RJ superam ainda os de 2008 em Santa Catarina, com 135 mortes.

As ruas arborizadas e calmas do vilarejo se transformaram em corredores de lama e barro.
Ruas de Riograndina, em Nova Friburgo, se transformaram em corredores de lama. (Foto: Celso Pupo/G1)

Dilma Rousseff durante visita a Nova Friburgo, após chuvas.
Dilma Rousseff durante visita a Nova Friburgo, após chuvas. (Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência)

A presidente Dilma Rousseff que esteve na última quinta-feira (13) em Nova Friburgo acompanhada do governador Sérgio Cabral, do prefeito da cidade Demerval Neto e diversos ministros, chegou a conversar com um morador no trajeto percorrido e disse representantes dos municípios atingidos: “Vamos realizar ações de governo firmes.”

O governo federal através de MP, já liberou R$780 milhões para os municípios atingidos e uma linha de crédito foi aberta para ajudar os municípios atingidos segundo o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra.

Nenhum comentário: