BUSCAR

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

CÂMARA APROVA SALÁRIO MÍNIMO DE R$ 545

Deputados durante votação do salário mínimo na Câmara (Foto: Agência Brasil)
 
Após 10 horas de sessão, o Plenário aprovou na noite desta quarta-feira, em votação simbólicaVotação em que não há registro individual de votos. O presidente da sessão pede aos parlamentares favoráveis à matéria que permaneçam como se encontram, cabendo aos contrários manifestarem-se. Expediente geralmente usado para votação de projetos sobre os quais há acordo. , o salário mínimo de R$ 545, com vigência a partir do mês seguinte ao de publicação da futura lei. Até essa data, valerão os R$ 540 estipulados pela Medida Provisória 516/10. O Projeto de Lei 382/11, do Executivo, ainda precisa ser analisado pelo Senado.

Os deputados fizeram um longo debate durante toda a tarde e a noite. Na fase de discussão, houve 20 oradores a favor e 20 contra o texto original do projeto, relatado pelo deputado Vicentinho (PT-SP).

Em votações nominaisVotação em que é possível identificar os votantes e seus respectivos votos, ou apenas os votantes, no caso em que os votos devam permanecer secretos. Opõe-se à votação simbólica, na qual não há registro individual de votos., o Plenário rejeitou, por 376 votos a 106, a emenda do PSDB que previa o valor de R$ 600 (emenda 1); e por 361 a 120 a proposta do DEM de R$ 560 (emenda 2).

Da bancada baiana votaram a favor a contra, A FAVOR - João Leão, Roberto Britto, João Carlos Bacelar, José Rocha, Acelino Popó, Márcio Marinho, Jânio Natal, Erivelton Santana, Emiliano José, Geraldo Simões, Josias Gomes, Luiz Alberto, Nelson Pellegrino, Rui Costa, Sérgio Barradas Carneiro, Valmir Assunção, Waldenor Pereira e Antonio Brito, CONTRA, Antonio Carlos Magalhães Neto, Fábio Souto, Fernando Torres, José Nunes, Oziel Oliveira, Luiz Argôlo, Antonio Imbassahy e Jutahy Junior. Só 13 deputados baianos não estavam presente na hora da votação.

A matéria esta programada para ser votada no Senado na próxima quarta-feira (23 de Janeiro). Fonte: Agência Câmara.

Nenhum comentário: