BUSCAR

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Com 375 votos, Marco Maia é reeleito para a presidência da Câmara

O deputado Marco Maia (PT-RS) preside sessão da Câmara após ser reeleito para o cargo 
Maia conduzindo a sessão após a posse (Foto: Agência Câmara)

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS) foi reeleito para o cargo nesta terça-feira (1º). Maia disputou o a presidência com outros três deputados – Sandro Mabel (PR-GO), Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Chico Alencar (PSOL-RJ).

Votaram 509 dos 513 deputados. Maia recebeu 375 votos; Mabel, 106;  Alencar, 16; e Bolsonaro, 9. Houve três votos em branco e nenhum nulo.

Para se eleger presidente sem necessidade de um segundo turno, Maia necessitava de maioria simples (pelo menos metade mais um, ou 255) dos votos entre os deputados presentes à sessão.

"Não tenho dúvidas de que vamos produzir uma boa pauta para que o povo brasileiro possa se orgulhar dos deputados que elegeu", afirmou Maia, da mesa da Câmara, logo depois de eleito.

Candidato do Palácio do Planalto, Maia concorreu com o apoio de 21 dos 22 partidos com representação na Câmara. Mabel e Bolsonaro lançaram candidaturas avulsas contra a determinação de suas siglas, que decidiram apoiar Maia. Chico Alencar concorreu com o apoio apenas do próprio partido.

Marco Maia nasceu em Canoas/RS onde iniciou sua carreira de Metalúrgico e militante no Sindicato de Canoas, antes de ser deputado Maia  foi também membro do Sindicato dos Metalúrgicos de Nova Santa Rita/RS, da Confederação Nacional dos Metalúrgicos  e da Central Única dos Trabalhadores (CUT),

Maia foi secretário estadual da Administração e Recursos Humanos do Rio Grande do Sul e presidente da Trensurb em Porto Alegre no governo de Olívio Dutra.

Maia se candidatou pela primeira vez a Câmara de Deputados em 2002 quando ficou na Suplência e assumiu em 2005, em 2006 ele foi reeleito e em 2009 assumiu a vice-presidência da Câmara, em 2010 ele conseguiu se reeleger novamente a assumiu a presidência da Câmara no lugar do vice-presidente da república Michel Temer (PMDB).

Nenhum comentário: