BUSCAR

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

CONVERSA COM GOVERNADOR WAGNER 2011 - 15/02



Edmundo Filho:Olá, obrigado por sua atenção! Eu sou Edmundo Filho e você confere a partir de agora mais uma edição de nosso programa.


Edmundo:Governador Jaques Wagner, é com satisfação que voltamos a conversar em nosso programa semanal. Tudo bem, governador?

Governador Jaques Wagner:Tudo bem, Edmundo. Queria mais uma vez cumprimentar, com muita alegria e satisfação, a todos que nos acompanham pelo Conversa com o Governador. E dizer que sempre para mim é uma satisfação poder ter esse bate-papo semanal com todos vocês.

Edmundo:Na sexta-feira passada o senhor visitou as obras de construção da Arena Fonte Nova. Como está o cronograma, governador?

Wagner:Os técnicos da empresa me mostraram tudo aquilo que está planejado e progrmado, aproveitando, inclusive, mão-de-obra do entorno do local da obra. Então, posso dizer a todos vocês que estão nos ouvindo nesse Conversa com o Governador, que foi super exitosa. Estamos dentro do cronograma em relação a obra do estádio, e eu tenho certeza que a gente vai entregar, pra primeira capital do Brasil, a nossa querida Salvador, um equipamento da melhor qualidade, que vai abrigar a Copa. Espero que a Copa das Confederações também, em junho e julho de 2013 e, se Deus quiser, algumas partidas da Olimpíada de 2016. Tudo de melhor está sendo feito, um equipamento novo, moderno, multiuso, que poderá também abrigar, eventualmente, grandes espetáculos. Um equipamento que vai estar à altura, inclusive, da abertura da Copa do Mundo, e a gente se colocou nessa disputa. É claro que todo o Nordeste se sentirá orgulhoso de, pelo menos, ter um evento especial da Copa 2014 acontecendo aqui
Edmundo:Uma das características desse equipamento é a geração de emprego. A orientação para que a compra de insumos seja, prioritariamente, na Bahia, também vai nessa direção?


Wagner: Olha, Edmundo, não poderia ser diferente. Mesmo empresários da iniciativa privada que chegam aqui para fazer o seu investimento e, às vezes, recebem benefícios fiscais e incentivos do governo estadual, sempre o pedido que eu faço é que façam, dentro do possível, é claro, às vezes você não encontra um equipamento, mas, no máximo possível, que suas compras sejam feitas aqui dentro do Estado da Bahia e que a gente verticalize a cadeia produtiva daquilo que está sendo trazido. Porque aí, além do emprego direto naquela atividade, você tem toda uma cadeia baiana, cadeia produtiva, trabalhando a favor da geração de emprego e gerando mais riqueza aqui. No caso da Fonte Nova, eu digo a você que 70% de tudo que é adquirido por aquela obra, já que é um equipamento público, está vindo de dentro do Estado da Bahia. Não só a mão-de-obra, mas como vários equipamentos e outros insumos para a obra. Essa é uma característica do nosso trabalho no governo do Estado e que, é claro, tem dado como resultado esse recorde que nós tivemos na geração de emprego ao longo dos últimos quatro anos e que eu espero que continue nos próximos quatro anos.

Edmundo:Um dos principais legados da Copa 2014 será a melhoria da mobilidade urbana, em Salvador. Qual a sua opinião sobre os diferentes projetos que tratam do assunto?

Wagner:
E bom lembrar, Edmundo: é um desafio. Mas é um desafio que o Estado baiano, os empresários baianos estão prontos pra enfrentar. Eu não tenho um modelo único. Eu entendo é que qualquer modelo que seja montado, tem que levar em consideração não só o eixo da Paralela, saindo do Aeroporto, conduzindo os turistas para a hotelaria e para a nova Fonte Nova. Ele tem que levar em consideração a população como um todo. Na medida em que a população quer ficar com os benefícios da Copa do Mundo. Por isso, na minha cabeça, qualquer projeto desse que está sendo pensado, tem que pensar integrando ele ao nosso metrô, no chamado Sistema Novo de Transporte que virá pela Paralela, ou seja, interligar dali do Iguatemi até a Rótula do Abacaxi. Aí sim você viabiliza o metrô, porque o metrô com 6 quilômetros é difícil de se viabilizar. Você ajuda o povo, que nem sempre vai poder ir na Copa do Mundo, mas que vem todo dia trabalhar, vindo lá de Pirajá, e você dá uma solução mais definitiva para o tráfego. Se vai ser pneu ou trilho, isso depende, evidentemente dos estudos técnicos. Há defensores dos dois sistemas. Mas eu quero fixar uma posição: a participação do Estado só existirá, condicionada à integração do sistema ônibus, a nova mobilidade urbana e o metrô, que precisa ser completado, porque nós não podemos ter um metrô incompleto, como até hoje ele está. Então, o fundamental é que esse sistema tenha uma visão global de Salvador e fique interligado, inclusive, com nosso metrô de Salvador.

Edmundo:Falando agora de Saúde, o ministro Alexandre Padilha vem sexta-feira à Bahia para entrega de ambulância do Samu, da Farmácia Popular da UFBA e outros compromissos.

Wagner:Eu quero dar, antecipadamente, as boas vindas ao ministro, que é um amigo pessoal. É um amigo da Bahia, e que eu tenho certeza, continuará olhando para a saúde pública baiana, com o mesmo interesse que o ministro anterior. Nós temos vários programas e projetos para estabelecer convênio e, portanto, a vinda do ministro é bem vinda, principalmente, no lançamento da campanha contra a dengue, que depende da consciência de cada um de nós não deixando água empossada, lixo acumulado, evitando a proliferação do mosquito da dengue.

Edmundo:
Governador Jaques Wagner, mais uma vez obrigado pela entrevista e até a semana que vem.

Wagner:
Obrigado a você, Edmundo. À todos, uma boa semana e até o próximo Conversa com o Governador

Nenhum comentário: