BUSCAR

sábado, 26 de março de 2011

Em 2011, F-1 dará mais de duas voltas ao mundo nas viagens para os GPs

Pouco mais de duas voltas ao mundo (aproximadamente 40 mil quilômetros) ou cerca de 100 mil km: esta é a distância que a Fórmula 1 percorrerá em suas viagens na temporada 2011. A expansão do calendário rumo a novos mercados, quase todos no Oriente Médio e na Ásia, aumentou muito o trajeto que equipes, pilotos, membros da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e jornalistas percorrem todos os anos. Além disso, os custos com o transporte interno na Europa, que poderiam ser feitos por via terrestre, foram substituídos por caros voos e deslocamentos em cargueiros pelo mar. Há 20 anos, em 1991, os deslocamentos somavam cerca de 87 mil quilômetros, 15% a menos do que neste ano.

O GLOBOESPORTE.COM simulou todas as viagens que pilotos e equipes fazem, partindo de Londres, de onde saem os aviões cargueiros da categoria. Para facilitar o entendimento, os deslocamentos são constantes, ou seja, de uma corrida diretamente para outra. Na realidade, os membros da Fórmula 1 podem voltar para seus países ou ir para as fábricas na Europa entre as corridas, mas seria impossível de chegar a uma distância uniforme.

É um calendário bem complexo, em que você viaja muito. Quem trabalha na Fórmula 1 fica muito tempo fora de casa. E se pensarmos que uma Nascar (a Stock Car americana) tem 35 corridas, ainda tem margem para crescer muito. Acho que é um ajuste econômico. É uma questão do que é melhor para o esporte.

Além disso, nunca um campeonato terminou tão tarde: o GP do Brasil será realizado no último fim de semana de novembro. Até o início dos anos 2000, o calendário da Fórmula 1 costumava ser encerrado em meados de outubro. Há alguns anos, as corridas passaram para novembro e agora quase invade dezembro.


Confira abaixo o mapa com os deslocamentos da Fórmula 1 em 2011


Fiquem ligados que emoção da F1 esta de volta na madrugada deste domingo com o primeiro GP da temporada direto de Melbourne na Austrália ao vivo na Globo.

Nenhum comentário: