BUSCAR

sábado, 5 de março de 2011

Um dia tinha que acontecer!

Banco do Brasil após o assalto

Estava escrito que um dia iria acontecer o que aconteceu em Banzaê na madrugada deste sábado quando ladrões assaltaram o Banco do Brasil com ajuda de reféns e levaram os mesmo até soltar numa estrada vicinal do tabuleiro.

Essa prática do governo do estado de levar todo policiamento do interior da Bahia para o Carnaval em Salvador tinha que acabar em tragédia um dia, é claro que o governo do estado faz de tudo para que a maior festa de rua do país seja reconhecido pelos mais de dois milhões de foliões e telespectadores como a festa da paz, da segurança e da tranquilidade, mais deixa as cidades do interior da Bahia sem policiamento como acontece todos os anos não dar mais para aceitar, estava escrito que isso aconteceria um dia e justamente esse dia chegou e foi em Banzaê.

No momento do assalto só tinha no município um PM, Wilton, dando plantão na Delegacia Militar, além da falta de um maior número de policiais, o município esta sem sua única Viatura neste período carnavalesco, aliás é sempre assim todos os dias, só esta trabalhando um PM por dia, a sorte é que na Delegacia da Civil trabalham um delegado e mais três policias, mais eles não se encontravam na cidade na hora do acontecimento, é claro que eles não poderiam fazer nada até pelo fato dos assaltantes estarem com reféns, mais se eles estivessem e a viatura estivesse, dava para ter ido atrás dos assaltantes depois do assalto, claro que com cautela por causa dos reféns inocentes.

É bom registrar que nas cidades vizinhas Ribeira do Pombal e Cícero Dantas também estava sem seus policiamento completo por causa do Carnaval em Salvador, pois na hora do acontecido muitas pessoas ligaram para as Delegacias de ambas cidades e eles informaram que estavam sem condições de vim até Banzaê, um grupo de PM só chegou a Banzaê por volta de 6 horas da manhã e junto com PM Wilton de Banzaê, vistoriaram o banco e prenderam o Montana utilizado pelos assaltantes e que eles entregaram aos reféns para voltar a Banzaê.

Por volta de 10 horas da manhã o policial da Civil, Everton, esteve no banco, registrou o acontecido, tirou algumas fotografias e solicitou aos proprietários das pick up Ranger e Strada que levassem os documentos dos carros na Delegacia para comunicar as outras Delegacias da região.

O que ninguém aceita mais é essa prática utilizada por todos os governantes da Bahia de levar o policiamento do interior para capital e deixar o interior nas mãos de bandidos no Carnaval.

Nenhum comentário: